segunda-feira, 29 de março de 2010

Dia do revisor! Parabéns colegas!

Gente, foi ontem, mas o que vale é a intenção né? Deixo aqui um texto com algumas informações bem legais para os revisores. Parabéns pelo nosso dia!

Revisor comemora seu dia em 28 de março

Ministério do Trabalho e Emprego informa que mais de oito mil profissionais atuavam no mercado em 2007. Responsáveis pela correção textual, agora têm de se adaptar à reforma ortográfica

Brasília, 28/03/2009 - Quem mexeu no meu texto? O título do famoso best seller de Spencer Johnson não é esse, mas se ao invés de um texto motivacional, fosse a história dos revisores essa poderia ter sido sua escolha. Na data em que se comemora o Dia do Revisor, o Ministério do Trabalho e Emprego divulga que, em 2007, 8.727 profissionais desempenhavam a função, segundo levantamento da Relação Anual de Informações Sociais da Pasta (Rais).

Sua tarefa não é das mais simples, pois, apesar de não ser o criador da obra, é o responsável pela impecabilidade do texto final. Aos olhos do revisor não podem passar despercebidas incorreções gramaticais, de ortografia, coesão, coerência, concordância e sintaxe. Enquanto os redatores podem deixar escapar uma ou outra palavrinha errada, os revisores devem observar cada parágrafo, seja em livros, matérias jornalísticas, resenhas ou quaisquer outras publicações que passem pelo seu crivo.

Esse profissional não só corrige textos, mas também opina e aponta soluções para que haja uma melhor compreensão e fluidez da leitura. Por não haver formação acadêmica específica para esta área, a função é geralmente desempenhada por bacharéis em Letras ou Comunicação Social. Na própria Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), do Ministério do Trabalho e Emprego, os revisores de texto encontram-se sob o código 2611-40 dentro da família de profissionais de jornalismo.

Para Alfried Karl Plöger, presidente da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf), o papel do revisor é de muita responsabilidade ao verificar textos e layout. "Apesar de todos os cuidados que a indústria gráfica possui na execução dos serviços, principalmente com relação à arte, é sempre bom o revisor verificar a representação gráfica da linguagem no material a ser impresso. A boa revisão literária consegue observar - e usar - a importância da arte gráfica dentro do contexto literário", esclarece.

Em 2007, eram mais de 2.500 homens e de 6.100 mulheres que atuavam nessa área. Recebiam, em média, respectivamente, R$ 1.246, 26 e R$ 879,83. De acordo com a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) a média salarial hoje é de R$ 2 mil. José Carlos Torves, presidente da Fenaj, lembra que agora esses revisores passam por uma disputa acirrada no mercado: a tecnologia. "A importância desses profissionais foi fundamental na imprensa escrita, entretanto com a informatização, as empresas acabam adotando programas de revisão nos seus sistemas".

Nova Ortografia - Os avanços não se restringem aos programas de computador, por isso o revisor tem de se qualificar tecnológica e linguisticamente. Em 1º de Janeiro, entrou em vigor o acordo ortográfico que visa unificar a escrita da Língua Portuguesa nos oito países que falam o idioma - Brasil, Moçambique, Angola, Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Desde então, desapareceram, por exemplo, o trema de todas as palavras e o acento dos ditongos abertos éi e ói das paroxítonas. Durante o período de transição, que vai até 2012, valem as duas maneiras.

"A ortografia padronizada facilitará o intercâmbio cultural, cuja principal mídia continua sendo a impressa. Livros de todos os segmentos - ficção, didáticos, paradidáticos e científicos -, documentos e escrituras internacionais, contratos comerciais e textos de todos os gêneros poderão circular livremente entre os países, sem necessidade de revisão local. É o que já ocorre com o Espanhol. O ensino do Português também será padronizado. Isso será muito positivo", comemora Plöger.

terça-feira, 9 de março de 2010

Propagandas interessantes

Olá pessoal, tudo bem?

Já falei aqui algumas vezes sobre a linguagem publicitária (ver aqui e aqui) e hoje recebi um e-mail, em formato PowerPoint, com várias propagandas muito interessantes. Aqui coloco algumas, mas quem quiser pode me solicitar por e-mail que encaminho a apresentação completa - lembrando: priconte.az@gmail.com

Bom, nem preciso dizer o quanto seria legal trabalhar com seus alunos estas peças. Tem para várias disciplinas e você pode abordar desde a temática - como a poluição global, AIDS, desodorante até lâmina de barbear e inseticida - até como as pessoas conseguem se comunicar algumas vezes sem usar nenhuma palavra, que tipo de linguagem é esta (não verbal), incentivá-los a criarem as suas próprias propagandas. São muitas as possibilidades! Criatividade!

Aí estão:

sexta-feira, 5 de março de 2010

Aula de História - para todos!

Pessoal, estou há uma semana tentando fazer este post acreditam? Mas o tempo está correndo de mim! rs Enfim, chegou a hora.

Final de semana passado, assisti ao filme "A Onda" por indicação. E achei incrível a abordagem do tema: totalitarismo. É um filme alemão, em que o professor, para ensinar aos alunos sobre o assunto, simula um movimento com nome, símbolos, ideologia, uniforme... E quando a pergunta inicial é relembrada ("Acha que nunca mais teremos ditadura na Alemanha?"), o espectador pode até sentir um arrepio da prporção que está experiência ganhou.

Deixo aqui a sugestão de assistir este filme e indicar aos alunos como forma de reflexão - principalmente para as disciplinas de história e alemão (o filme é neste idioma e ainda faz inferência a história da Alemanha).

Segue aqui o trailer do filme, sinopse e cometários de algumas pessoas sobre o filme. Acesse aqui.

Ah! Vale lembrar que na verdade este é um "remake", ou seja, refeito. Na verdade, esta experiência foi real e foi exibida na década de 80 (como vocês poderão ler nos comentários).

Muitos já devem conhecer, então desculpem pela informação atrasada - para mim, foi novidade, pois não sabia da existência deste material.

Até